RESENHA O sacrifício Ricardo Casterele

by - 12 março


A história: Narrado em terceira pessoa O sacrifício conta a história de como a princesa Miranda sacrificou tudo para o bem do planeta Terra e seus habitantes, nessa aventura que mistura vários elementos da literatura fantástica. Casterele pega quase todos os mitos para fazer uma salada que faz o cristianismo e a mitologia grega brincarem num conto de fadas moderno.

Há muitos anos atrás o mundo vivia uma crise de espécies, os puros (seres com habilidades especiais) disputavam espaço com os seres humanos normais, numa briga cheia de fúria, influenciada por Áries, só a escolhida do sol e da lua poderia trazer a paz e salvação, a partir de um grande sacrifício.

Nascida do casamento entre um humano sádico e uma pura clandestina, Miranda nunca soube dos maiores segredos de sua mãe, mesmo que um ser da escuridão a perseguisse desde seu nascimento. É só quando se vê sozinha e ameaçada por Áries que a princesa descobre que veio ao mundo para dar-se como um sinal de esperança.

Entre muitas batalhas e diálogos bonitos, com um vocabulário riquíssimo, O sacrifício é um conto de fadas, uma lenda, uma história de ninar que instiga por sua autenticidade.


Os personagens:
Miranda: a protagonista já vem com uma carga de força bruta e estratégia antes de se tornar a heroína. Deixando para trás a história de que os superpoderes a fizeram mais forte, Miranda foi treinada pelo exército de seu pai a reagir durante uma guerra. Ao se dar conta de suas habilidades inexploradas, a menina, que já não é mais uma adolescente, cresce ainda mais no campo de batalha.

Blair: Sim, meus amigos, ela mesma, a famigerada bruxa de Blair. Ela é uma antagonista/secundária, mas que tem um plot twist super maravilhoso, apenas queria um livro só dela. Então, sem spoiler, só lendo pra entender o que essa mocinha faz dentro dessa narrativa.

Áries: Ele é o vilão/antagonista e bota antagonista nisso, etâ cara pé no s***, desculpa. Às vezes ele meio que me deixava sem paciência, mas faz parte da caracterização dele, se opor a protagonista com sua força brutal e grandiosa. Ele não desistiu nem mesmo no finalzinho, o que faz eu me perguntar, teremos parte dois?

O que eu menos gostei: Levando em consideração que a narrativa criou uma atmosfera de conto de fadas eu fiquei um pouco incomodada algumas vezes com a linguagem do texto que continham verbos no presente, quando se trata de uma história que já aconteceu eu acho melhor quando tudo se é referido no passado. Também achei que a história de amor entre Miranda e Cédrick foi bem superficial, ainda mais que temos um dramão no final envolvendo os dois, acho que se tivesse sido um pouco mais profundo teria me arrancado lágrimas. Contudo, lembrando mais uma vez, essa é apenas a minha opinião.

O que eu mais gostei: Gostei muito da história da Blair, acho que deveria ter aberto esse arco até mais no começo da história para deixar o leitor com a pulga atrás da orelha, até revelar o plot twist. Também amei a força feminina dentro desse livro de fantasia. Além disso, ler O sacrifício me lembrou muito do sentimento que eu tive assistindo Avatar a lenda de Aang e a lenda de Korra. É divertido demais, uma baita aventura.
Para os amantes da ficção, eu vos apresento está história interminável. Em o Sacrifício, você deslumbrará os acontecimentos da vida de uma jovem, chamada Miranda a qual não poupará esforços para salvar o universo das garras fraudulentas das trevas.

Os reinos do mundo estavam em guerra, pois Áries o senhor das trevas semeava discórdia mais do que nunca e com isso, ódio e vingança corroíam corações e a vida dos anjos guardiões estava por um fio. Somente uma alma cujo coração fosse puro poderia livrar o mundo dá desgraça que estava por vir e por ela a humanidade aguardou por milênios; décadas sombrias de dor e aflição das quais esfriaram a fé do povo, levando muitos a desa
creditarem na profecia que dizia: “Sob a luz do luar encantado, apenas uma das três taças poderá reinar sobre tudo e todos. Quando as doze badaladas da ultima hora o relógio entoar, o grande rubi dentre as nuvens irá se revelar e então, no luar enfeitiçado, sobre as asas negras de quem um dia nos devastou, nascerá a luz da esperança que nos purificará das trevas e trará a paz para os dois lados. Assim, o fim dos três trevianos, será iminente e das mãos tatuadas, quando tudo se ajeitar, cada taça retornará a grande prateleira e jamais a morte dará a última palavra outra vez”.

A referida da profecia deveria ter o sangue do sol e da lua correndo dentre suas veias, pois somente essas forças seriam capazes de deter as trevas e seu senhor. Miranda terá apenas sete dias para sustar os planos malignos de Áries, o imperador das trevas e salvar a humanidade dos tenebrosos efeitos que o acontecimento cósmico que está por vir derramará sobre a Terra.

Ao decorrer desses sete dias, os planetas se alinharão perfeitamente junto a lua e no ápice do eclipse solar, a lua de sangue se mostrará e desencadeará uma força jamais vista, sedenta por sangue inocente e assim, a batalha entre anjos, humanos e demônios, se iniciará.
Miranda deixará tudo para trás e embarcará nessa jornada juntamente com as Boanerges, guerreiras valentes e filhas do próprio trovão, cujas flechas eram capazes de destruir o próprio aço. A escolhida terá de optar entre salvar a si e seu mundo ao qual tanto ama, salvar seu amado príncipe ou se sacrificar em prol de toda galáxia.

A cada pagina uma nova historia é descoberta e então eu, Ricardo Casterele os convido a mergulhar nessa história que vai muito além do que um conto de fadas. Entrem nessa aventura ponderada por monstros e bruxas, vales místicos, anjos, fadas e muito mistério. Testemunhe com seus próprios olhos a batalha épica entre o bem e o mal em: "O Sacrifício''.
Paulo Ricardo dos Santos, ou como prefere melhor: Ricardo Casterele, reside em São José dos Campos- SP, a cerca de sete anos com seus pais e irmãos mais novos. Casterele é autor do livro fictício: O sacrifício, mas o autor já tem planos de escrever muitos outros. Seu amor pela literatura iniciou-se quando ele ainda era pequenino, pois por conta da mãe ter que trabalhar o dia todo para sustentar a si e os filhos, Paulo teve de viver a maior parte do tempo sozinho e como não tinha amigos de sua idade para se divertir, a criança apegou-se aos livros fantasiosos, aos filmes de Harry Potter e a todo tipo de desenho que possuísse um âmago mágico. Assim, Casterele cresceu, tornou-se um homem de fibra e começou a colocar todas as suas idéias num caderno que hoje se tornou um magnífico conto de fadas. 

Sua rede social favorita – instragram – tem crescido dia após dia, contando hoje com vinte e sete mil seguidores, dos quais amam os trabalhos do autor e anseiam que ele logo escreva novas aventuras.

You May Also Like

0 comentários