| RESENHA | Amor de cordel - Andrea Marques

by - 30 outubro

Skoob – Avaliação: 3/5. 
O livro amor de cordel conta a historia de Carolina Borges, ou simplesmente Carol. Uma bela mulher de 38 anos apaixonada pela sua profissão de terapeuta ocupacional, queria destacar sobre essa profissão tão linda, que particularmente nunca tinha ouvido falar antes de ler esse livro.
É casada há 14 anos com Miguel e vive uma vida feliz ao lado do seu marido, pelo menos era isso que ela acreditava até o dia que Miguel pede o divórcio por ter se apaixonado por outra mulher.
Sozinha, Carol recomeça sua vida, compra um novo apartamento, se dedica 100% ao seus dois empregos, começa a fazer aulas de balé que tanto queria e faz novos amigos.

Em uma de suas consultas, conhece o Alexandre, um homem de 27 anos, arquiteto e grande amigo do dono da Clinica onde Carolina trabalha. Com o decorrer do tempo, Carol cria um sentimento por Alexandre e isso a deixa totalmente confusa entre se entregar ou segui seu principio de ser contra envolvimentos com pacientes. Outro problema na visão de Carol, é a diferença de idade e classe social.

Será que Carolina irá ceder aos encantos Alexandre, dono dos olhos de Jade? Será que ela conseguirá amar de novo? Um romance contemporâneo, recheado de drama e com varias questões como diferença de idade, diferença social e também preconceito homofóbico. Em suma, a leitura do livro é maravilhosa, em alguns momentos arrastada, acredito que o excesso de detalhes atrapalhou o decorrer da história. 


A autora Poliana conseguiu criar uma personagem capaz de me fazer viver uma relação de amor e ódio com a protagonista. Em vários trechos, me identifiquei com a Carol e em outros a achei muito cega e boba. Acontece né? 
Aos 38 anos de idade, Carolina Borges achava que tinha a vida perfeita. Casada com Miguel, era feliz mesmo sem ter realizado o sonho da maternidade. No entanto, a convivência com o marido e seu bom desempenho profissional a deixavam satisfeita e segura.

O destino lhe prega uma peça e, sem esperar, ela vê sua vida se modificar significativamente. Seu casamento chega ao fim, e sua carreira como terapeuta ocupacional, que sempre lhe proporcionou alegrias, passa a torturá-la. Isso acontece quando o jovem arquiteto Alexandre Bastos entra em seu consultório pela primeira vez, despertando em Carol sentimentos conflituosos que a farão repensar seus valores e a obrigarão a sair de sua zona de conforto para se arriscar em terrenos desconhecidos que poderão colocar em risco sua própria vida.

Permeado por traições e intrigas, Amor de cordel é um romance contemporâneo que traz à tona assuntos do universo feminino, além de despertar a paixão até nas mulheres mais modernas e independentes.
Escrever o meu perfil é uma tarefa árdua. Ainda mais quando eu prefiro é falar dos meus personagens… O Amor de Cordel sempre esteve na minha vida. Lembro que, um ano antes de começar a escrever, eu pensei em um dia remoto sentar e colocar no papel minhas ideias sobre a vida, as coisas que eu gostava, meus relacionamentos e até a minha experiência como terapeuta ocupacional. Até que esse dia chegou. Eu havia acompanhado meu marido numa viagem a trabalho que ele fez para São Carlos, por coincidência, a mesma cidade onde cursei a faculdade, e lá comecei a relembrar meus tempos de estudante, as minhas amizades, meus sonhos e também meus amores. 

Um misto de nostalgia e empolgação tomou conta de mim e, a partir daí, surgiu a ideia da Carol. Quando voltei para casa, desfiz as malas, me sentei em frente ao computador e comecei a escrever. Foi libertador. Através da escrita, eu pude exteriorizar meus anseios e conflitos, expressar minhas ideias e até vivenciar meus sonhos. Criei meus livros no meu dia a dia. Assim, quando eu dirigia a caminho do trabalho ou ficava em casa cuidando de alguma tarefa doméstica, eu imaginava a vida dos personagens, como eles se sentiriam em determinadas situações e como seriam suas reações perante os problemas. Foi um processo longo e contínuo. 

Tenho de ser sincera também com vocês, leitoras, ao dizer que Amor de Cordel é uma junção de vários clichês. Estaria mentindo se respondesse que não, afinal que mulher um dia já não sonhou com um príncipe encantado? A única diferença é que algumas mulheres mais sábias abandonam essa ideia mais cedo que outras, já algumas como eu ficam sempre acreditando nas histórias loucamente impossíveis de acontecer. O Alexandre é um estereótipo de homem ideal, mas também quero deixar claro que, por mais que ele seja um sonho, a minha realidade com o meu marido é maravilhosa, rs. Vale dizer que não quero só trazer um conto de fadas para os leitores. A personagem Carol também traz um linda história de superação e teve de recomeçar a vida com outro olhar. Ops, era para eu ter falado de mim e, vejam só, falei o tempo todo da minha obra. Não posso negar que a Carol foi o meu alter ego durante muito tempo, no entanto ela era muito melhor do que eu em todos os aspectos: na aparência, nas qualidades e até mesmo nos defeitos. Só me desvencilhei da personagem quando a minha filha nasceu. Agora, Carol, pertence a você também. 

You May Also Like

0 comentários